O TURISMO E A EDUCAÇÃO

agosto 25, 2021

Um dos grandes males brasileiros tem sido nas últimas sete décadas após a 2ª. Guerra o surgimento de muitos “adventistas políticos”, que se apropriaram do Brasil, assaltaram os cofres da nação, atrasando a evolução social. As oportunidades econômicas desses sete decênios foram muitas. Mas, sua distribuição de forma adequada depende de uma política saudável, que tenha entre suas prioridades a educação. A ignorância dos governos ao poder que a educação cria para que a pessoa entenda melhor o mundo em que vive, obtendo uma vida melhor que independa de favores ou subsídios governamentais é intolerável. O turismo nos fornece um exemplo bem claro.
O turismo, um produto relativamente mais barato de se desenvolver, acaba sendo o grande prejudicado por esse quadro. Com uma política educacional eficaz o País poderia ser outro e o turismo também. É natural que o brasileiro queira conhecer Miami, as delícias de Buenos Aires ou mesmo os encantos de velhas cidades europeias, como acontece atualmente. Afinal, todos nós queremos. Por que isso acontece? Em primeiro lugar não são motivos culturais que estão na raiz dessas viagens ao exterior. Se motivos culturais despertassem vontade de viajar, todos os brasileiros iriam conhecer o Brasil. O turismo interno é, quando comparado com internacional, muito caro. Porque sua escala econômica é pequena. E os apelos do exterior para atrair turistas tem um forte efeito sensorial. O que tem isso a ver com educação de qualidade? Se o brasileiro médio recebesse uma base educacional que o promovesse socialmente iria preferir conhecer cidades onde nossa história foi escrita. Por exemplo, iria conhecer a primeira capital do Brasil e muitas outras com ricas histórias de forma diferente, desde o Norte ou o Nordeste, o Sul e o Sudeste, e de como se forjou sua nacionalidade, e das batalhas que seu povo teve de travar para se manter uno, para impedir que o Tratado de Tordesilhas, apenas como um exemplo, fracionasse o País em quase 20 repúblicas, como aconteceu na América do Sul.
A educação pode se transformar na maior aliada do turismo. Basta que tenha um sistema eficaz, que transforme um eleitor em um cidadão de verdade, o que está faltando no momento.

Hélcio Estrella

Ex Presidente Nacional da Abrajet, Ex presidente da Abrajet São Paulo Diretor e colunista ·
Rrevista financeira Banco Hoje.

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.