Farol do Cabo Branco

agosto 18, 2020

Sobre a falésia na ponta da praia do Cabo Branco está o inponente Farol do Cabo Branco

Esse monumento, atualmente abandonado pela administração pública municipal, é uma referência no turismo local e nacional, pela localização no ponto extremo oriental das Américas, e faz parte dos roteiros de visitação do turista à Paraíba.

O farol tem uma estrutura exclusiva no país, pois seu formato é triangular, estendendo três hastes inclinadas, projeto inspirado no sisal, que na época de sua construção a Paraíba era destaque nacional pela produção e beneficiamento da fibra do produto, que depois de desfiado se transformava em agave para produção de cordas, cestas e outros produtos.
Na sua localização privilegiada é um dos mais importantes cartões postais da capital paraibana, próximo 800 metros do ponto mais oriental das Américas. Na mureta de proteção também servindo de mirante está a visão panorâmica e belíssima, com vista para grande parte da área litorânea norte e sul, de onde observam-se as piscinas naturais da praia do Seixas, uma das mais belas praias do nosso litoral urbano.

O Farol, foi construído em 1972, tem de altura 19 metros, a luminosidade é bastante visível e o sinal luminoso, tem o alcance de quase 30 milhas náuticas. Nas proximidades do Farol, um bosque e as lojinhas onde é possível comprar pequenas lembranças, água de coco e o famoso sorvete de tapioca. Seguindo para a praia ainda na ponta, a Estação Cabo Branco, Ciência, Cultura e Arte, um belíssimo projeto do renomado e imortal Oscar Niemayer, que tem como finalidade a apresentação de danças e peças teatrais, assinaturas de livros, exposições de artes em geral.
São 8.500m² de área útil, distribuídos em cinco prédios, a torre octogonal, dois pavimentos sobre um pequeno lago que contribuem para aclimatação, exposições permanentes e auditório com capacidade para 500 pessoas, anfiteatro para 300, loja e lanchonete, o Bloco Administrativo e um amplo Estacionamento. Na área externa, desportistas utilizam para praticarem atividades físicas como ciclismo, caminhadas, corridas e exercícios variados.
Apesar da importância para o turismo, nem a prefeitura nem o governo do estado tem dado a merecida atenção. Logo que assumiu, o prefeito Luciano Cartaxo interditou a passagem para visitação, em seguida surgiram projetos e solicitação de verba. Não vi intervenção de autoridades cobrando uma atitude respeitosa dos governos por permitirem o desabamento da barreira.
Enquanto isso, a cada inverno, toneladas de barreiras da encosta desmoronam e o que a prefeitura apresenta são buracos e cubos de concretos poluindo o local, que por sinal ainda é bem agradável. Nessa inércia, aproxima-se oito anos de governo sem nenhuma atitude concreta e definitiva.
Há uma luz no fim do poço, afinal de contas as eleições municipais estão aí. Quem duvida que agora a obra de recuperação saia do papel?

Guet Coelho

Jornalista

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.