Recuperação somente a partir do ano que vem

setembro 27, 2020

A recuperação da economia turística somente deverá ocorrer a partir do segundo trimestre de 2021, avaliam especialistas com dados da lenta recuperação do setor. E a OMT-Organização Mundial de Turismo estima que terão sido eliminados cerca de 120 milhões de postos de trabalho no mundo inteiro por conta da pandemia. Nenhum especialista se arrisca a avaliar quando esses empregos serão restabelecidos, nem de que forma, mas alguns acreditam que os estragos serão um pouco menor para o bolso dos que dele dependem, por conta dos programas de auxílio emergenciais que muitos países adotaram para ajudar trabalhadores mais vulneráreis. Essa forma de socorro governamental se dá através de programas genéricos de preservação da parte da renda dos trabalhadores, sem especificação de quais setores eles integram. Passada a crise da pandemia, esses números certamente estarão disponíveis, e poderão indicar a parte relativa dos trabalhadores em turismo.
No Brasil, já se registram a volta das viagens, embora tímidas, que começam a demandar as viagens aéreas, a rede de hotelaria e as empresas de serviços, fato que vem ocorrendo no mundo, principalmente na Europa e nos Estados Unidos. No Brasil, essa pequena demanda é mais notada nos Estados do Nordeste, e quase despercebida nos dois principais polos dessa atividade, São Paulo e Rio de Janeiro. Os agentes de viagens preferem esperar para admitir o que realmente está acontecendo com base na reabertura controlada que algumas áreas ou regiões brasileiras estão praticando.

Acreditando-se que no segundo semestre do próximo ano a situação esteja normalizada, a indústria turística deverá fechar o ano de 2021 com um crescimento entre 5 a 7%, com a recuperação de boa parte dos empregos que foram extintos, mas os prejuízos sofridos pelo setor levarão ainda um bom tempo – talvez uns dois ou três anos, para serem recuperados. Quantos aos investimentos, poucos se arriscam a prever quando eles serão retomados e com qual velocidade. O que se sabe é que demorarão um pouco para voltarem aos níveis de 2018, até que se tenha certeza de controle total da pandemia que derrubou o turismo no mundo inteiro. Renovação de frotas aéreas comerciais e construção de novas redes hoteleiras estão hoje na geladeira dos planejadores.
Mas, como todas as crises da humanidade sempre foram superadas, catapultando-a para um estágio sempre melhor, é o que todos esperam do futuro.

Hélcio Estrella

Jornalista de economia e turismo, ex-Presidente Nacional e atual membro do Conselho Nacional da ABRAJET

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.