VÍRUS DERRUBA TURISMO

maio 7, 2020

O turismo internacional e nacional (turismo interno) foi efetivamente derrubado, entrando em colapso, com o surgimento e a rápida propagação do COVID-19, o vírus letal que atinge atualmente toda a humanidade.

Surgido na China, há poucos meses, o “danadinho” espalhou-se ràpidamente por todo o mundo, justamente pela facilidade que existia em se fazer turismo internacional, tanto de lazer como de negócios.
Depois de afetar o país mais habitado do mundo, a multissecular China continental, o novo coronavírus fez da Itália a sua segunda casa, em especial na sua região norte, onde se destacam as cidades de Milão e Turim. Dali, espalhou-se por todo o país e infiltrou-se pela Europa e por países de todo o planeta, inclusive pelo nosso Brasil.
Então, para se precaverem, os demais países evitaram o contato entre si. A Itália praticamente fechou suas portas, cancelando viagens radicalmente e eventos os mais diversos, tendo até que obrigar a sua população a ficar presa dentro de casa, para evitar ao máximo a convivência das pessoas no dia a dia, procurando minimizar a propagação desse novo coronavírus. Até o Vaticano, por orientação do iluminado Papa Francisco, fechou a Praça e a Basílica de São Pedro, sempre lotadas de turistas de toda parte do mundo. A mesma orientação deu a Igreja Católica de todo o planeta, para evitar o contágio das pessoas.
Esse isolacionismo obrigatório atingiu diretamente o turismo internacional e nacional, prejudicando as companhias aéreas, os turistas, os aeroportos, os portos, as rodoviárias e demais meios de transportes, as operadoras e agencias de viagens, os hotéis, as pousadas, bares, restaurantes e similares, além de todo o circuito virtuoso que faz do turismo a “indústria sem chaminé”.
No Brasil, que está reagindo com rapidez e garra para diminuir uma rápida disseminação do COVID-19, as autoridades federais, estaduais e municipais da área da saúde já tomaram inúmeras providencias. Entre elas, a orientação à população, através dos meios de comunicação e redes sociais, de como se prevenir diàriamente para evitar esse vírus, com hábitos simples, mas eficazes.
Foi decretada a quarentena da população e também o estado de “calamidade pública”, pelo que estamos vivendo uma nova experiência: o isolamento e confinamento das pessoas. O governo federal tem trabalhado diuturnamente para ajudar a todos os brasileiros conseguindo dinheiro para a compra de equipamentos individuais para os nossos valorosos profissionais da saúde (médicos, enfermeiros, auxiliares e voluntários) e também para os equipamentos hospitalares.

Praça e Basílica de São Pedro, vazias, no Vaticano

A vacinação contra a Influenza(gripe) foi antecipada, e mais de 52 milhões de brasileiros, que estão sem renda e desempregados, receberão durante três messes a quantia de 600 reais por mês já a partir de abril, para ajudar-lhes na sobrevivência.
A coisa não está fácil, mas se houver uma união nacional para combater o problema, será benéfica para todos. Uma coisa é certa: o mundo não vai se acabar agora e quem viver verá. A humanidade já passou por coisas piores ao longo de milênios. Vamos ter esperança e fé em Deus, façamos a nossa parte, pois dias melhores virão.

Ivan Y Plá Trevas

Jornalista

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.