O Brasil do momento

maio 7, 2020

Estamos vivendo uma pandemia, causada pelo Corona Vírus, o Covid 19, um vírus surgido na China que infectou a população mundial de maneira crescente e drástica. De uma hora para outra, as pessoas tiveram que ficar reclusas em suas residências, sem contato umas com as outras, para não serem infectadas.

O Brasil foi afetado em todas as esferas: política, social, econômica e principalmente a da saúde, que teve que se adaptar rapidamente à triste situação. Na realidade, sabe-se pouco sobre este vírus, apesar do interesse mundial em soluções, com pesquisas em andamento de remédios eficazes na cura, e principalmente, na descoberta de vacina para acabar definitivamente com a doença, imunizando toda a população.
Os profissionais da saúde merecem aplausos, pois estão se dedicando 24 horas para atender a crescente demanda de infectados pelo vírus, usando todos os recursos possíveis e disponíveis para salvar vidas.
Entretanto, politicamente, como era de se esperar, há muita desunião, quando todos deviam estar coesos, em momento de decisões importantes, em todos os aspectos. A classe política agride-se, dispersos do que realmente importa no momento, que é a sobrevivência humana. Estão mais preocupados com as futuras eleições e anteciparam as brigas por negociações de cargos públicos. Uma vergonha!
Economicamente, o país vai sair da crise, acarretada pelo fechamento das atividades. Como uma expressiva parcela da população está na linha da pobreza, sem qualificação profissional, trabalhando como autônomos, a situação é séria e inevitável, pois os decretos específicos têm que ser obedecidos. Porém, em atitude louvável do governo federal, veio um auxílio emergencial durante três meses, para quem se enquadrar nas exigências estabelecidas. Vai dar para ajudar a sobreviver.
O Brasil está mesmo passando por crise financeira? Se o vergonhoso roubo da operação Lava Jato e outros escândalos financeiros não quebraram o país, não é agora que o país vai quebrar. Aliás, esse discurso político contradiz com as remessas de dinheiro que os governadores e prefeitos lutam para receber, além dos milhões em compras de equipamentos de saúde para combater a Covid 19, estes necessários, é claro.
Apesar de tudo, haveremos de voltar aos trilhos com nossos milhares de barris de petróleo, a exportação de ferro, comodities e tantos outros negócios que alavancam a economia. Vamos vencer! Hoje, a palavra de ordem é: fiquem em casa!

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.