FATOS

maio 7, 2020

Criatividade não Falta ao Brasileiro

Todo brasileiro sabe que depois do fim dos anos áureos
1965 a 1986, os governos que se seguiram, nunca se
preocuparam com a saúde pública.

É comum ver corredores de hospitais públicos lotados de pacientes, em macas, muitos morrendo por falta de assistência. Politicamente, no momento em que estamos vivendo, da pandemia covid-19), surgiu uma oportunidade dos prefeitos e governadores tentarem negociações com o governo federal. Sabiamente, ao invés de dinheiro, o presidente ao ser solicitado pela verba, pede para enviar a relação do material que precisam. Mas, como sempre, a população, a que carrega nas costas uma multidão de políticos, funcionários públicos, por ordem nada democrática, tiveram que fechar seus negócios, que para cada empresa significa o sacrifício de demitir e atrasar pagamento de contas. Apesar da situação crítica, não falta criatividade humana a essa abençoada nação: Um paraibano muito criativo fixou um banner e uma sacola ao lado no muro do aeroclube com a seguinte mensagem: “deixe seu boleto aqui, Luciano Cartaxo e João Azevedo, vão pagar”.
Já no estado de Minas Gerais, onde o governador Romeu Zema tem por preocupação a qualidade de vida, a população vai relativamente bem. O governador liberou o comércio, mesmo sendo a população mineira muito maior do que a paraibana, e o índice de infectados é muito inferior.
Enquanto isso, o governo federal preocupado com a população, tem atuado em várias frentes. Para o turismo, cinco bilhões vão estar disponíveis para as empresas, cujos recursos estarão disponíveis brevemente, por reconhecer a necessidade desse socorro.

Bairro dos Bancários

O Bairro dos Bancários foi projetado no sentido de dar o maior conforto aos moradores e fácil acesso a quem por ele circular.

Todas as ruas são calçadas, canteiros largos, arborizados e vida própria, em consequência natural da forma de vida dos seus moradores.
Tem igrejas e templos, padarias, farmácias, supermercados, shopping e pequenos comércios. Conta também com uma praça, essa muito útil, com máquinas populares para o exercício físico e passarela para as caminhadas. Mas, em se tratando de equipamentos de saúde, pouco fizeram pelo bairro. Apenas 02 UPAs sem opção de atendimento, o que fez com que, nessa vacinação contra a gripe, não houvesse atendimento nelas.
Para pedalar e caminhadas mais longas, os moradores utilizam as conhecidas três ruas, que foram projetadas para no futuro interligar com a Universidade Federal da Paraíba, próximo ao HU-Hospital Universitário, o que gera três questionamentos: em primeiro lugar, porque não abriram o acesso para a universidade? Depois, havendo três ruas por que ainda não se adota mão única nos dois sentidos? E, por último, porque não implantar faixa para os ciclistas? Prefeito!!! A cidade é do povo.

Fernando Duarte

Jornalista – Membro do Conselho da Abrajet Nacional

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.