Chevrolet S10 High Country, 4×4, Diesel, de 200 cv

novembro 18, 2019

Chevrolet S10 High Country, 4×4, Diesel, de 200 cv, avaliada pelo Blog se mostrou confortável, econômica, segura e com boa dirigibilidade e vem até com um Santo Antônio estilizado. Custa a partir de R$ 198.490.

Quem consegue não olhar uma picape que passa majestosa, altiva, pela rua como esta S10 High Country 2020, branca summit, cabine dupla, que a Chevrolet me entregou para um test-drive de avaliação para os milhares leitores do Blog e os internautas do YouTube do canal Blog do Arnaldo Moreira?
Assista o vídeo de avaliação desta picape pelo link abaixo e não esqueça de INSCREVER-SE, tocar o sininho, para receber o aviso de novos vídeos, e deixe o seu importante like nos vídeos a que assistir:
https://www.youtube.com/channel/UCA6EytDe0Jf9DREdVoMImPA?view_as=subscriber
A Chevrolet caprichou e aplicou na camionete diversos itens habituais em carros de luxo, acabamento esmerado, forração de couro nos bancos e nos painéis das portas, cuidado, aliás, que condiz com o conforto implementado na suspensão da picape, que lhe confere o padrão de comodidade semelhante ao de um automóvel.
O forro do teto bem acabado possui dois pontos de iluminação.
A S10 High Country vem com um potente motor 2.8 turbo Diesel, de 200 cv – um dos mais potentes a Diesel usados no Brasil – e 51 kgf.m, já a partir dos 2.000 giros, que lhe garante chegar de 0 a 100 km/h em 10,3 s – tempo feito por carros considerados rápidos – e velocidade máxima de 180 km/h, graças também ao câmbio automático, de seis velocidades muito eficiente, que vem com tração 4 x 4 e 4 x 4 reduzida, com acionamento elétrico, num botão no painel ao lado da manoplado câmbio.
De ressaltar a suavidade de trocas de marchas. Esta picape não te deixa na mão numa ultrapassagem mais apertada. Com tudo isso, o carro é muito seguro nas curvas, com uma estabilidade significativa o que proporciona uma dirigibilidade com muita segurança.
Uma novidade na S10 é a melhoria no sistema de conectividade My Link completo, que a Chevrolet aperfeiçoou e agora é 100 % compatível com o Apple Car Play e o Androide Auto, extremamente amigável e fácil de manusear na tela de 8”, onde são, a um simples toque escolhidos o rádio, para sintonia de sua emissora preferida, o bluetooth, para ouvir as músicas da playlist de seu celular, e do telefone para registro dos números de seus contatos, e realiza ligações de viva-voz, e o espelhamento de seu telefone na tela. Na tela está também a câmera de ré e o carro conta ainda com sensores de ré e da frente.
Como nos demais modelos e versões Chevrolet, a S10 conta com o serviço OnStar através de botões no retrovisor – fotocromático -, de conciérge, emergência, acompanhamento em viagens, serviço que tem cobrança de uma pequena mensalidade.
O volante coberto de couro possui, à direita, controles de intensidade de som, telefone e viva-voz, à esquerda controle de velocidade e o de altura do som do aviso de Colisão Frontal (FCA). Atrás do volante – onde senti muita falta das borboletas de troca de marchas manual os chamados Paddle Shipts – tem ainda à esquerda os acessos ao combutador de bordo, que oferece dados de consumo de combustível, autonomia do tanque (de 60 litros) e do veículo, e do lado direito os controles do limpador de parabrisas.
Os mostradores, velocímetro, conta-giros, marcação de combustível e temperatura e os dados do computador de bordo são de fácil leitura no painel em frente ao motorista. Mas o para-sol do motorista vem sem espelho, será que houve algum esquecimento no projeto?
No painel central estão botões que desligam o controle de estabilidade, tração e de faixa (corrigindo quando o carro se desvia de sua rota normal). Acima os do ar condicionado, digital, dual zone (duplo direcionamento), para motorista e carona, mas sem oferecer esse privilégio aos passageiros do banco traseiro, por falta de uma saída de ar na traseira.
O assento do passageiro do meio no banco nesta versão ganhou encosto de cabeça. Para maior comodidade dos ocupantes desse banco, que possui uma boa ergonomia, uma curvatura que encaixa bem as costas, tornou-o mais confortável, e o encosto do banco do meio se transforma num encosto de braço.
Em função, da necessidade da rigidez da suspensão traseira ainda se sente uma leve trepidação, nada comparada à registrada nas picapes de anos atrás.
Por falar em carga, sobre o teto do carro há um rack que suporta peso até 75 kg e junto um estilizado Santo Antônio que tudo indica se destina a atrair consumidores urbanos.
A S10 tem como decoração nas laterais um par de elegantes estribos, que facilitam o acesso à cabine, que fica num patamar que oferece uma visão privilegiada do trânsito e ajuda por exemplo na saída de garagens como a minha em que sempre há carros estacionados perto do portão, pois a visão supera o teto deles.
A altura do carro é ajudada pelas rodas aro 18”, calçadas com pneus 265/60. A distância do chão é de 28 cm, significativa na passagem de quebra-molas e em estradas esburacadas e em meio à lama.
A frente da High Country é robusta, com linhas modernas e agradáveis à vista.
O preço desta interessante picape é de R$ 198.490,00.

Arnaldo Moreira

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.