FATOS

setembro 9, 2019

Será que o
Problema do Brasil é do Aposentado?
É do Trabalhador?

No Brasil, o tratamento dado aos políticos (e seus penduricalhos servidores) é Vip comparando e população é o extremo. Tido como descaso, é a maior falta de respeito aos direitos constitucionais. Iniciando pelos Senadores, exemplo de aberrações desses profissionais da política que tem essa atividade como meio de vida. Eles ostentam o mais alto padrão de vida pago pela sofrida população, arrastam bilhões dos cofres públicos com alto salário e mordomia, para aprovar leis que têm o objetivo beneficiar o país, mas só negociando. Além de todos esses benefícios, ainda empregam a família, têm plano de saúde estendido a toda prole, com direito aos melhores médicos dentistas e tudo que a população não tem direito.
Os Deputados não fogem à regra: arrastam outros bilhões com direito a tudo o que imaginar. Eles criam as leis e são exatamente essas leis que lhes darão todo esse direito.
Mas, os absurdos não param: a aposentadoria desses inúteis, em determinados casos, chega a quase duzentos mil mensais.
No Judiciário, é aonde há mais injustiça com a população, pois além das aberrações nos salários, há também a falta de empenho e entendimento. O Brasil ainda se protege através de Juiz que galgaram cargos através de concurso, dão exemplo de dignidade, fiscalizam, colhem provas e prendem os acusados, outros nomeados por apadrinhamento político na maioria sem formação de juiz, soltam (não se sabe as razões).
A incoerência nacional é absurda, e os Tribunais acompanham. No Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, o salário superando o teto aonde o salário do conselheiro chega a 48 mil reais, e quando se aposentam têm o privilégio de manter o valor. Agora, vocês sabem para que serve o TCE? Imagino que é para fiscalizar a administração pública. É por isso que a primeira providência de um governador ao assumir, é colocar pessoas de confiança no TCU. Não precisa comentar mais nada: o resultado dos trabalhos não são favoráveis; vez por outra, prefeitos são manchete nos noticiários nacionais. (Não há fiscalização). Na Cagepa, também aqui no estado da Paraíba, tem funcionário que ganha 80 mil reais. Fica difícil entender.
Então, o problema do Brasil não é o contribuinte. O aposentado é a marginalidade administrativa.
Votei em Bolsonaro, mas no término da apuração comentei com os amigos: se o Presidente não convocar as Forças Armadas para lhe dar suporte, esses problemas serão impossíveis de serem resolvidos. Fica o presidente de um lado tentando, e do outro, o Judiciário e o Legislativo com o balcão de negociações barganhando vantagens.
Viva o Brasil dos anos 1965 à 1985, período da abertura ao turismo nacional.

Fernando Duarte

Jornalista – Membro do Conselho da Abrajet Nacional

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.