II Encontro Nacional de Jornalistas de Turismo é realizado em Salvador da Bahia

setembro 9, 2019

Bahia de todos os santos, de todos os encantos. Bahia da magia, de São Salvador, de Mãe Menininha do Gantois, de Castro Alves, de Dorival e Nana Caymmi, de Jorge Amado e de Dona Canô, Bahia do seu povo alegre e generoso, Bahia da poesia inscrita com tintas indeléveis na descontinuidade de seu relevo, geografia que flameja a riqueza arquitetônica que nos leva ao nosso mais antigo passado colonial. Salvador, nossa primeira capital nacional; caldeirão cultural em que o seu percurso histórico a transformou em Patrimônio Histórico da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Bahia também de seus visitantes, por que não? Terra majestosa e singular.
No fim de agosto a Boa Terra recebeu um grande evento, o II Encontro Internacional de Jornalistas de Turismo, realizado entre os dias 22 e 25 o evento foi sediado no salão Ipês do Hotel Quality São Salvador. Ali dezenas de jornalistas se encontraram e debateram o tema do evento que foi “Na terra ou no ar, muita história pra contar”.
Nascido do sonho e empreendedorismo do Presidente da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo (seccional Bahia) Gorgônio Loureiro, o evento foi muito bem organizado e podemos entende-lo como uma extensão da primeira edição, ocorrida há um ano. Houve um casamento de entendimentos no que se refere não só a temática como aos destinos turísticos conhecidos. Além do mais, tivemos a oportunidade de entender a Baía de Todos os Santos como um todo, não só a área de influência de São Salvador. Há um investimento importante para impulsionar o turismo náutico, inclusive acessando via mergulho antigas embarcações que naufragaram naquelas águas. Fausto Franco, secretário de turismo do estado da Bahia demonstrou que o futuro no turismo baiano é promissor, ao todo são 133 municípios com vocação turística e que estão sendo integrados e vistos pelo poder estadual.
Das palestras, podemos destacar o tema ‘Turismo na Economia Criativa’, ministrado pelo ex-secretário de Turismo da Bahia Domingos Leonelli. Outro painel interessante foi sobre a importância da Mídia de Bordo na escolha do destino turístico, com debate entre Andréa Magalhães (editora da revista Viagens S/A) e Rafael Bahia (da revista Vamos Latam que tem a espetacular tiragem de 260 mil exemplares).
Bob Santos, atual secretário nacional de integração interinstitucional do Ministério do Turismo fez um balanço de suas atividades durante os sete meses de governo e comentou sobre o desafio de ampliar o número de turistas estrangeiros no país que, por incrível que pareça, recebe menos turistas que o elevador da Torre Eiffel em Paris.
Visitas técnicas foram feitas ao Mercado do Rio Vermelho, às cidades de Maragogipe e Cachoeira, o santuário de Irmã Dulce, Restaurante do SENAC Casa do Comércio e Hotel Fasano Salvador.
Restaurante do SENAC
Um delicioso jantar foi servido no restaurante SENAC Casa do Comércio. De arquitetura moderna e cubista, estivemos em um andar que se projeta para a rua, sem qualquer coluna sustentando, dando um ar desafiador aos seus visitantes. O arrojado projeto arquitetônico faz daquele andar um camarote para o vai e volta de pessoas e automóveis na avenida Tancredo Neves. Um dos frequentadores ilustres, com direito a quadro em sua parede principal, foi o escritor João Ubaldo Ribeiro.

Hotel Fasano Salvador
Um prédio histórico, construído em Art Déco, em plena Praça Castro Alves foi restaurado para abrigar o hotel de luxo ‘Fasano Salvador’, inaugurado em dezembro de 2018. A construção abrigou durante 45 anos o jornal A Tarde, que ocupava três pavimentos, o restante do prédio era comercial, funcionando escritórios, consultórios e um pequeno hotel nos três últimos pavimentos. Durante a Era Vargas, nos idos da década de 1930, houve a tentativa de empastelamento do jornal e um incêndio tomou conta de parte do arquivo, que funcionava no primeiro andar. Hoje essas marcas de incêndio foram preservadas em duas suítes do primeiro andar, elas não só dotam de charme o lugar como testemunham quase um século de história.

O grupo Fasano chegou no nordeste para ficar, os investimentos são vultosos e o Hotel é só o primeiro. Nele foi servido um almoço para os jornalistas participantes do evento, cardápio italiano e bem refinado. O ambiente é por demais aconchegante, cores sóbrias, alguns espelhos, decoração com motivos em fibras e também livros de Jorge Amado. Os lustres são feitos de “pães de açúcar”, aqueles equipamentos onde a massa repousava e perdia a humidade. Esses pães foram adquiridos de antigos engenhos da região. A Revista estadunidense ‘Time’ escolheu o Hotel Fasano Salvador como um dos 100 lugares mais incríveis para conhecer em 2019, uma boa pedida!

Thomas Bruno Oliveira

Historiador e Jornalista – 3372-PB

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.