Na Amazônia tem mas ONGs que índios

abril 4, 2019

Existem 100 mil ONGs na Amazônia, ou seja, existem mais ONGs do que índio. A maioria das ONGs são estrangeiras e estão lá para proteger o contrabando ilegal de pedras preciosas, ouro e minérios, como o nióbio. Instalaram-se na Amazônia durante o governo do PSDB, quando FHC deu início às demarcações de terras indígenas. Neste período, a Amazônia se tornou terra de ninguém… Centenas de índios foram
assassinados por mercenários estrangeiros, que vinham em exércitos para proteger as jazidas ilegais. Tudo isso acontecia aos olhos de FHC, da Funai e da imprensa que acobertava as falcatruas do governo tucano.
A FUNAI gastava cerca de R$ 1,6 bilhão com saúde indígena. Entretanto se descobriu-se que morre mais índio do que branco. Para onde foi então, tanto dinheiro?
O general Santos Cruz está estarrecido com o levantamento que vem sendo feito dentro da FUNAI. O órgão tem um orçamento anual de R$ 1,65 bilhões para gastos com a saúde sem resultados concretos. Outro absurdo constatado pelo General é a quantidade de ONG’s inscritas na FUNAI para cuidar de demandas relacionadas à causa indígena. Segundo informações, o país está tomado por organizações sociais, que sobrevivem à custa de repasses e convênios públicos.
A situação do país é crítica e o aparelhamento do estado é completamente inadmissível. O general está escandalizado com o cenário que encontrou dentro da entidade. Santos Cruz é o ministro-chefe da Secretaria de Governo e afirma que o governo Bolsonaro está estruturando o país e que as safadezas patrocinadas na FUNAI, pelo PSDB e pelo PT, irão acabar.

A importância do Farol

No roteiro turístico da capital paraibana, um dos locais mais visitados pelo turista era o Farol do Cabo Branco. Infelizmente, encontra-se interditado. Em uma matéria divulgada na Revista Atual sobre a contenção da barreira o entrevistado foi o Engenheiro de Minas Belmiro Barbosa Lira. Ele, munido de sua experiência, comentou que o primeiro trabalho seria fazer um corte de inclinação de aproximadamente 45 graus em seguida, usar o material adequado para que tenha durabilidade. Nossa capital desponta como destino preferencial do turista e uma boa parcela dos visitantes comentam que morariam aqui, na capital do Ponto Extremo Oriental das Américas

Uma injeção de 1,9 bilhão na economia

Pernambuco bateu recordes de visitantes nesse carnaval. Nada menos que 1.870.971 visitantes vieram festejar a folia de Momo no Estado, o que representa um crescimento de 9,5% em relação a 2018. O aumento do público impactou positivamente na receita turística da festa. Em 2019, os turistas e excursionistas injetaram na economia pernambucana R$ 1,982 bilhão, um incremento de 23,7% em relação ao ano passado, quando eles deixaram R$ 1,601 bilhão no Estado.
Os dados ainda revelaram que grande parte dos visitantes que vieram de São Paulo (29%), Ceará (18%), Rio de Janeiro (12%), Paraíba (8%) e Bahia (7%). No mercado internacional, os principais emissores foram Argentina (40%), Portugal (12%), Alemanha (10%), França (10%) e Canadá (5%).
Acorda Paraíba, aprenda a trabalhar.

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.