Festival JPA anuncia AD90 para agentes de viagens

outubro 7, 2018

No primeiro dia da Abav Expo Internacional de Turismo, que começou na última quarta-feira em São Paulo (26), os agentes de viagens de todo o Brasil receberam uma grande notícia. A diretoria do Festival do Turismo de João Pessoa e a Gol Linhas Aéreas Inteligentes ampliaram a parceria e a companhia aérea vai oferecer passagens com AD90 para os profissionais poderem participar do evento.
De acordo com Claudio Junior, diretor comercial do Festival JPA, a Gol decidiu reduzir de AD75 para AD90 o valor da passagem para os agentes de viagens. O empresário acrescentou que a companhia área é a patrocinadora oficial do evento e que mais esse benefício aos profissionais é um reconhecimento da importância da feira para o mercado, considerada pelo Ministério do Turismo uma das oito mais importantes e influentes do país.
O Festival JPA chega à sua oitava edição com maior participação de expositores, principalmente internacionais, numa mostra que o evento ganha um caráter maior de internacionalização. A área a ser utilizada no Centro de Convenções de João Pessoa também será maior, com estandes e corredores mais amplos, o que irá facilitar ainda mais a acessibilidade e mobilidade dos participantes.

O BERÇ0 VERDE E AMARELO
DA PÁTRIA BRASILEIRA

Antonio de Andrade

Um resumo do texto de Antônio de Andrade. Quem quiser ler o texto completo, solicite a editoria da Revista.
Em uma escola paulista, numa classe de primeiro ano, foi constatado que dos vinte e cinco alunos, nove deles apresentavam nomes estrangeiros, tais como Robert, Keteni, Tarik, Hellen, Deivid, Whaytney, Yago, Alifi, Patrick.
É muito provável que esse fato seja uma influência da chamada “globalização”, que está levando as pessoas a perderem contato com suas próprias raízes e valores da cidade onde nasceram e do país onde vivem. A identificação com o seu “chão natal”, a sua Pátria, faz surgir na pessoa o sentimento de amor ao seu país. O exemplo mais marcante desse amor foi mostrado por Tiradentes (José da Silva Xavier) ao proferir a sua frase histórica, quando dele quiseram saber se não se entristecia de perder a vida, enforcado naquele dia 21 de abril de 1792, pela pátria nascente. Ele disse: “Dez vidas eu tivesse, dez vidas eu daria!”.
Este sentimento ao seu país parece que está sendo diluído cada vez mais nos que aqui habitam, já que até nas escolas está se perdendo o hábito de cultuar os símbolos nacionais, como a bandeira verde-amarela e o Hino Nacional. A própria língua portuguesa está sendo invadida, mais pela influência do inglês.
Está se tornando generalizado o sentimento de desilusão das pessoas com seus governantes, nas várias esferas e com os sistemas político, social, tributário e econômico existentes. O que ocorrerá no futuro, se este sentimento predominar em boa parte da população e nada for feito para mudar?
Por isso é importante cada pessoa começar a exercer a sua cidadania, participando de modo atuante da cidade e do país onde vive. Um bom momento é aquele onde exerce o seu direito de cidadão, decidindo votar de modo mais consciente e responsável, escolhendo bem os candidatos aos vários cargos, não se deixando enganar por aqueles que já mostraram que são maus políticos e maus brasileiros.
E para encerrar, o poema de Olavo Bilac (Olavo Brás Martins dos Guimarães Bilac, 1865-1918), intitulado A PÁTRIA, que reflete bem algumas das ideias aqui apresentadas:
“Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste!
Criança! Não verás nenhum país como este!
Olha que céu! Que mar! Que rios! Que floresta!
A Natureza, aqui, perpetuamente em festa,
É um seio de mãe a transbordar carinhos.
Vê que vida há no chão! Vê que vida há nos ninhos,
Que se balançam no ar, entre os ramos inquietos!
Vê que luz, que calor, que multidão de insetos!
Vê que grande extensão de matas, onde impera,
Fecunda e luminosa, a eterna primavera!
Boa terra! Jamais negou a quem trabalha
O pão que mata a fome, o teto que agasalha…
Quem com seu amor a fecunda e umedece
Vê pago o seu esforço, e é feliz e enriquece!
Criança! Não verás país nenhum como este:
Imita na grandeza a terra em que nasceste!

Reunião da
Confraria será em Gramado

Confirmada a reunião da Confraria em Gramado. O evento contou com o indispensável apoio da Marta Rossi, sobre a ida dos interessados.
O apoio veio de bom grado, porque a Marta conhece e sabe que boa parte dos confrades, são usualmente convidados pelo Festuris, e, por ser uma data tão especial, 30 anos de evento, gostaríamos de aproveitar para fazer nossa reunião. Vamos nos esforçar para que todos participem.
Sendo no período do grande evento, a hotelaria tem total ocupação, mas, surgiu a opção em acomodar dois jornalistas em cada apartamento.
Quanto às passagens para os interessados é AD75. Quem ainda não participou, é a oportunidade de conhecer um mega evento.

Com cara de mudança

Jamais vi tanta manifestação de apoio a um candidato a Presidência da República, como a candidatura de Jair Bolsonaro. Nunca! Já era tempo de se fazer uma faxina nos poderes. A única preocupação é com a manipulação da urna eletrônica, como estão fazendo com as pesquisas. Governos incultos provocam a falência de nossa história, “estamos de luto”. Não é de hoje o descaso com nossa cultura, que aos poucos nos deixa sem identidade histórica.
Deram início ao funeral cultural em 2008 com o incêndio do Teatro de Cultura Artística; em 2010 foi a vez do Butantã, um dos mais importantes Centro de Pesquisa Biológica do mundo. Em 15 de maio, um incêndio destruiu parte do prédio e próximo de 80 mil espécimes de serpentes, e 500 mil espécimes de escorpiões, aranhas entre outras espécies. Em 2011 o escolhido para Palácio da Praia Vermelha. O Palácio Universitário da UFRJ, estilo neoclássico do século XIX. Além da beleza estrutural, o Palácio registra tempos memoráveis com o abrigo do Instituto de Psiquiatria Pedro II. No ano de 2012 foi a Faculdade de Letras da UFRJ, em 2013, Memorial da América Latina, SP. Em 2014, Laboratório do Centro de Ciências, e, no Rio de Janeiro, 2015 – Nacional Museu da Língua Portuguesa, 2016 a Cinemateca e a Reitoria, 2017 o Alojamento estudantil. Para finalizar a coleta de destruição provocada pelo descaso administrativo; o Museu Nacional.
Nos noticiários divulgados sobre o incêndio, um repórter alertou a população que o incêndio do Museu Nacional aconteceu pela falta de apoio e de mal gerência na aplicação do dinheiro.
Artistas famosos recebem apoio financeiro para gravação de CD, para shows nacionais e internacionais, são incentivos do governo através de Fundos, o Nacional de Cultura e do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac). Outro canal de apoio é a Lei Rouanet de Incentivo à Cultura Lei nº 8.313. É fácil perceber que esse incentivo só chega nas mãos dos apadrinhados; para um iniciante, esse incentivo é quase impossível, como é difícil também essas verbas chegarem para manutenção desses tão importantes Museus que se perderam por falta de administração e incentivo econômico. Infelizmente, muitos continuam de cuia na mão, mendigando socorro.

Clube do Feijão 40 anos de ação

Mais de 400 pessoas do trade turístico compareceram no Hotel Rio Othon Palace, para a comemoração dos 40 anos de criação do Clube do Feijão Amigo. O trade turístico carioca e de São Paulo participaram em peso.
Hoje, com mais de 400 mil associados em vários países do mundo, o Clube do Feijão Amigo foi criado por Michel Tuma Ness para estreitar a fraternidade, a amizade, companheirismo e as relações entre os membros do trade turístico e não cobra mensalidades, não tem sede “pois está no coração de cada um”, acentuou Michelão.
Umas das metas desta filantropia é estudar e optar por ações que venha fortalecer o turismo nacional, e nesse encontro, temas como Cassinos e abertura do espaço aéreo a companhias estrangeiras e a revitalização do Aeroporto do Galeão, que a TAM abandonou “e vem fazendo campanha contra”, foram discutidos entre os presentes.

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.