FATOS

Março 11, 2018

O Brasil deveria fazer o mesmo

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato em primeira
instância, no Paraná, foi escolhido para receber em Nova York, o troféu “Homem do Ano 2018”, da Câmara de Comércio Brasil-EUA.

Sérgio Moro é um magistrado, escritor e professor universitário brasileiro, juiz federal da 13.ª Vara Criminal Federal de Curitiba e professor de direito processual penal na Universidade Federal do Paraná.
Graduado em Direito pela Universidade Estadual de Maringá, em 1995 fez mestrado e doutorado na Universidade Federal do Paraná. Especializou-se em crimes financeiros e tornou-se juiz federal em 1996. Nesta função, trabalhou em casos como o escândalo do Banestado, a Operação Farol da Colina, e auxiliou a ministra Rosa Weber durante o julgamento do escândalo do Mensalão.
Moro ganhou enorme notoriedade nacional e internacional por comandar, desde março de 2014, o julgamento em primeira instância dos crimes identificados na Operação Lava Jato, o qual, segundo o Ministério Público Federal, trata-se do maior caso de corrupção e lavagem de dinheiro já apurado no Brasil, envolvendo grande número de políticos, empreiteiros e empresas, como a Petrobras e Odebrecht, entre outras. Em 12 de julho de 2017, condenou o ex-presidente Lula a nove anos e seis meses de prisão, sendo essa, a primeira vez na história do Brasil em que se condenou criminalmente uma pessoa que foi ex-presidente da República.
O magistrado foi o único juiz do Brasil que teve a bravura de processar um ex- presidente da República, por crimes do colarinho branco. Parabéns!

Brasil em Guerra

A situação da saúde, da educação e da segurança, chegou ao cúmulo da irresponsabilidade administrativa.

Ao se passar uma vista rápida na situação da péssima qualidade dos políticos entende-se que não poderia ser diferente. O Pezão está com um pé no governo e outro nos processos da justiça, o próprio presidente da república está gastando fortuna dos cofres públicos para se manter na pasta, sua gôndola protetora. Esses são uns exemplos.
Em um discurso para apresentar o projeto de segurança pública no Rio de Janeiro, o Presidente Temer falou que o crime organizado tomou conta do Rio. Ora presidente, o crime organizado tomou conta do Brasil. Brasília que o diga.
Para a situação do Rio de Janeiro, teve a brilhante ideia de entregar às Forças Armadas o comando da Segurança. Os militares partiram para missão, mas como se trata de Brasil, e os bandidos acostumados com a proteção vinda da facção do colarinho branco, ao entrar na comunidade os policiais recebidos à bala não tiveram alternativa senão revidar em defesa.
Daí, surgem os aficionados da violência: uma socióloga achou absurdo o que os policiais fizeram por se defenderam. Uma sugestão é que pessoas com essas ideias apresentem-se voluntariamente e acompanhem a tropa, na frente dos pelotões para orientar, ou então deixar de dar pitácos em casos que não são da sua competência.
Em um rasgo de otimismo podemos acreditar que estão surgindo ideias melhores, tais como essa, para barrar esta sangria da moralidade que estamos vivendo.
Enquanto isso, o turismo brasileiro começa a se distanciar dos grandes países da Europa e América do Norte e do Sul. A Argentina e Chile, mesmo não tendo o potencial que temos, vão seguindo, rumo ao sucesso.
O Brasil com os inigualáveis atrativos naturais, somente continua no páreo, pela capacidade criativa e empenho dos empresários.

Pernambuco é destaque nacional

O nordeste hoje não é mais um destino desconhecido. O que justifica o fortalecimento dessa rica região brasileira é o empenho de Estados que reconhecem o Turismo como importante fomento da economia e a grande importância na criação de emprego. O nosso vizinho estado de Pernambuco é um exemplo, hoje ocupa a primeira posição nacional na receita das atividades turísticas e o segundo no ranking nacional da oferta produtiva.
O Índice da Atividade Turística da Pesquisa Mensal de Serviços foi divulgado pelo IBGE, que deu destaque nacional. Esperamos que essa intervenção na segurança, melhore a imagem do país no mundo dos negócios.

 

 

Fernando Duarte

Jornalista – Membro do Conselho da Abrajet Nacional

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.