SÃO FRANCISCO, PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE

janeiro 11, 2018

Lúcido, instigante e desafiador o artigo “O Complexo Franciscano de João Pessoa”, escrito pelo médico Manoel Jaime Xavier Filho, na edição de dezembro/2017 da revista da Academia Paraibana de Medicina – APMED – no qual ele propõe um trabalho conjunto de intelectuais, autoridades civis e religiosas e demais representantes da sociedade paraibana para “transformar o Complexo Franciscano de João Pessoa em Patrimônio Cultural da Humanidade”.

Nesse texto, o atual ocupante da cadeira nº. 28 da APMED faz uma descrição da importância cultural, histórica e arquitetônica do conjunto do Convento de São Francisco para a Paraíba, o Brasil e o mundo. E entre outras observações, relata a forte impressão que a fachada da Igreja de São Francisco deixou no pesquisador da arte religiosa brasileira, Germain Bazin, que sobre ela disse: “Este frontispício é uma das mais belas composições arquiteturais da América Latina”.
E cita ainda a passagem do intelectual, pesquisador da cultura brasileira e escritor do movimento modernista, Mário de Andrade, que quando esteve em João Pessoa, em 1929, disse extasiado ao contemplar o conjunto franciscano: “Do Nordeste à Bahia, não existe exterior de igreja mais bonito nem mais original do que este. E mesmo creio que é a igreja mais graciosa do Brasil – uma gostosura que nem mesmo as sublimes mineirices do Aleijadinho vencem em graciosidade” e “Na frente de tudo o Cruzeiro é um monólito formidável. Estou assombrado”.
Relata ainda o acadêmico Manoel Jaime outras observações e trabalhos feitos sobre a relevância do Conjunto Arquitetônico de São Francisco pelos escritores Clarival Valladares, pelo Dr. Humberto Nóbrega, ex-Reitor da UFPB e um dos fundadores da Academia Paraibana de Medicina, da professora e historiadora Glauce Navarro Burity, entre outros.
E conclama às lideranças paraibanas para que se unam com o intuito de proceder ao encaminhamento desse pleito à UNESCO, órgão da ONU que tem a prerrogativa de enquadrar e formalizar monumentos, sítios culturais, arquitetônicos e históricos como Patrimônio Cultural da Humanidade.
De minha parte estou plenamente de acordo com o que sugere e idealiza o Dr. Manoel Jaime, pelo que desde já sugiro aos companheiros abrajeteanos, liderados pela jornalista Messina Palmeira, presidente da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo, Seção da Paraíba – ABRAJET-PB – para somarmos esforços com diversas outras entidades representativas do Estado com vistas à magnífica ideia lançada.
Pois, além de tudo o que o Complexo Franciscano de João Pessoa representa para nós, no caso dele tornar-se reconhecido pela UNESCO como Patrimônio Cultural da Humanidade, isso torna-lo-á ainda mais conhecido no Brasil e no mundo, o que resultará num proveitoso motivo para o desenvolvimento do nosso turismo, com todos os seus benefícios correlatos.

 

Ivan Y Plá Trevas

Jornalista

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.