Retrospectiva 2017

Janeiro 11, 2018

Mais um ano…

Os políticos continuaram com a mesma falta de respeito aos cidadãos. Dos impostos pagos, não há retorno. O habitual abuso de poder e a esperteza marcaram a política. A cada ano, nossos representantes estão mais mafiosos na arte de enganar.

Em todas as cidades brasileiras, um simples esquecimento de farol apagado, a não colocação do cinto de segurança são motivos de arrecadação. Os caça níqueis instalados em todos os locais só servem para engordar o caixa da administração pública, além dos pagamentos todos os anos do emplacamento. Porém, essas câmaras não são utilizadas para proteger o tão sofrido e lesado brasileiro, mas o vandalismo, os assaltos e os crimes, estes câmaras não registram. Os criminosos agem à vontade: um delinquente é preso, mas a justiça solta, baseada nas brechas da lei que foram aprovadas pelo legislativo. Aí, novamente o cidadão tem que recorrer ao Santo Protetor e às grades.
E o menor? Esse tem permissão oficial para delinquir, roubar e até assassinar, sem a lei imputar-lhe uma pena, nem alternativa da recuperação.
O erro está na escolha de maus políticos. Os danos já instalados são enormes. Encontrar remédios profiláticos está sendo muito difícil, porque a organização criminosa está de tal forma baseada que a cada falcatrua descoberta existem medidas atenuantes que escondem a gravidade das ações delinquentes.
A grande farsa é bradar a palavra “DEMOCRACIA” para empurrar goela abaixo do brasileiro a obrigação de eleger quem não mais queremos. Agora, escancaradamente, o povo vai ser usado para em nome da democracia, instalar pessoas que já foram identificadas como ladrões em cargos, inclusive de mais alto mandatário da nação. Ora, a regra deve ser: quem já foi pegado com a boca na botija, ou enganou o povo de alguma forma, que vá para o quinto dos infernos. Tem que ser assim.
O caso de Tiririca, deputado cearense, que ao tentar aparentar honestidade, renuncia seu mandato, é um exemplo cabal da falta de vergonha do político brasileiro. José Genuíno, aquele que está atolado até o pescoço em processos dá pulinhos de alegria ao substituir o Tiririca. E Tiririca, enfim será penalizado com uma gorda aposentadoria. Já estão falando que ele pretende candidatar-se usando o slogan: “O povo está pedindo”
Os abusos foram muitos em 2017, mas quem está na mira de alça desses bandidos são os aposentados: Temer e seus cúmplices estão tentando aprovar uma lei que os penaliza. Segundo os mais entendidos, o motivo é porque o autor Marcelo Caetano é membro do Conselho de Administração da Dataprev, a maior empresa de previdência privada do país. O Presidente alega que o INSS está com déficit, mas grandes empresários devem R$ 50 bi.
Quando um político estiver muito obcecado em aprovar uma lei, rezem, pois não vem coisa boa para o povo. Mas, por enquanto, podemos respirar porque em 2018 haverá eleição e muitos deputados temem a reação da população nas urnas. Enquanto falam de situação critica do país, cada Deputado Federal custa para os nossos bolsos em torno de R$ 340 mil por mês, e com pouco mais de um mandato se aposenta com um salário integral. Muitos acham pouco ai recorrem às falcatruas.
Já o aposentado que ganha o salário mínimo vai passar a receber 965,00 reais, ou seja, 3%. Uma família com este rendimento gasta em média: R$ 100,00 de água, R$ 200,00 de energia, R$ 70,00 de gás, R$ 158,00 de transportes, que soma R$ 518,00, e se parar plano de saúde? E o empresário? Importante na economia e na geração de emprego, esse agenciador de negócios sacrifica-se para manter sua atividade (Bar, Restaurante ou Hotel) com folhas de pagamento, manutenção, impostos, água, luz, gás, etc… É muito suor.
Aqui na Paraíba, a prefeitura de Cabedelo e os vereadores impediram a construção de um Shopping do grupo Marquiza. Com o embargo, veio o corte de 3.000 empregos. Em João Pessoa, um dos maiores comércios, o Ferreira Costa foi embargado pela prefeitura, e mais uma vez prejuízo de 1.000 empregos.
É com essa falta de respeito e de consciência que o Turismo no Brasil está perdendo espaço para demais países da América do Sul. Nas feiras internacionais, a presença do Brasil não condiz com as belezas naturais que dispomos. Outro fator negativo é a falta de crédito, provocada pelos constantes escândalos de corrupção praticados, e mais uma vez a insegurança assombrando o turista. Em Natal com a falta de pagamento do salário a policia fica sem condições de trabalhar, e o governo, continua lá no comando?
Além desses disparates, ainda temos que política não é uma profissão, pois ele foi escolhido pelo povo para um serviço temporário, mas se aproveitam do poder e criam condições de benefícios que nenhum brasileiro tem, e não existe em nenhum país do mundo.
Mas, parece ainda haver esperança, e ela recai nas Forças Armadas. A opinião geral das ruas entende que é necessária uma intervenção militar, mas aos poderosos é motivo de desespero, adotando a falácia que a intervenção militar vai de encontro à Democracia.
E o nosso regime é Democrático? Sendo a Democracia um regime político baseado nos princípios da soberania popular, o brasileiro quer que o voto seja obrigatório? O brasileiro quer bancar campanha de político? O povo recebe Segurança, “mais de 70 explosões a caixa eletrônico”, Educação e Saúde? Estamos de acordo com os gastos desenfreados nos Poderes?
Dados os absurdos e abusos pelos quais hoje passa nossa pátria, estamos em plena Ditadura.

 

 

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.