Guet Coelho

dezembro 11, 2017

Coma bem e gaste pouco

Hoje é possível experimentar a gastronomia de
cada lugar sem gastar muito. Siga estas dicas:

Dispense o couvert (se ele for cobrado, claro); Divida a entrada e a sobremesa – e não se envergonhe; Peça orientação quando escolher o prato principal – o mais caro nem sempre é o melhor; Pergunte se o prato é individual ou se é possível dividi-lo; Dispense os destilados e prefira uma bebida regional. Você conhece marcas novas, paga um preço justo; Evite os horários de pico, para garantir um atendimento mais cordial.

Os destroços do barco

Os destroços do barco quebrado na praia dos Seixas continua no mesmo lugar, causando acidentes. Esta semana um garoto levou um corte na perna, por sorte sem gravidade. A família do garoto tomava banho nas proximidades onde a sucata está se decompondo.
Fizemos esse comunicado na edição setembro da Revista, e nesse período, as rádios fizeram comentários, e até agora a Prefeitura Municipal não tomou providência. Para o turismo isso é péssimo. Já na Ponta do Cabo Branco, a prefeitura ornamentou de tapume, deixando uma imagem negativa, e achando pouco, armou uma marmota com tubos de concreto e um poste atravessado, algo que identifica muito bem como a atual administração está se comportando. O Farol deixou de fazer parte dos atrativos da cidade, mesmo sendo o Farol, referência no turismo pessoense.

Argentinos de olho nos encantos paraibano

Uma equipe de argentinos, composta de jornalistas e agentes de viagens, esteve em João Pessoa para um reconhecimento de área. Já estava ciente da beleza da cidade, dos sabores encontrados no variado cardápio, e claro, das nossas praias com aquele incomparável clima tropical que faz inveja às demais regiões da América do Sul. A Rede Nord recebeu os convidados naquele tratamento VIP, registro da Rede.
Conheceram os pontos atrativos no roteiro, evitaram passar pelo congestionado centro, onde os ambulantes com a permissão da autoridade mor do município permitiu a invasão deles, e pelo Farol, outro ícone do nosso turismo que está interditado pela prefeitura.
Na fronteira das praias de Tambau e Manaíra se depararam com moradores de rua instalados sem nenhuma intervenção das autoridades. É assim, a natureza capricha e não recebe as devidas atenções das autoridades.

VIA ZAP

De Jonh Kirchhofer

A justiça corrompida é o pior câncer de uma sociedade.
Há uma grande diferença no desenvolvimento entre a América e o Brasil, ambos com 500 anos de descobrimento. Resposta: A sociedade só existe e se desenvolve fundamentalmente em suas leis e sua igualitária execução. A justiça é o solo onde se edifica uma nação e sua cidadania.
Sem lei, sem justiça não haverá uma grande Nação. Se há impunidade para os poderosos, as ervas daninhas da corrupção se multiplicarão e sugarão a seiva vital da sociedade.

Campina Grande um orgulho nacional

Desta vez, as potencialidades da cidade chamaram a atenção do atual o presidente do BNDES, Paulo Rabello, que esteve na cidade nesta segunda-feira, 20, para uma palestra sobre Desenvolvimento Regional, durante um Fórum de Debates, promovido pela Unifacisa, com apoio da CDL. O evento reuniu autoridades, como o prefeito Romero Rodrigues, o empresário Dalton Gadelha, profissionais e estudantes das áreas de administração, economia e dos setores de comércio e indústria.
Conhecendo a cidade, Dr. Paulo Rabelo ficou surpreendido com seu potencial e frisou que o desenvolvimento de Campina foi feito de forma projetada e que além de ter um pólo regional reconhecido há muitos anos, é também um centro de futuras oportunidades e o BNDES quer proporcionar a condição de uma aceleração dos investimentos dessa região”, asseverou Paulo Rabello.
Para o presidente, Campina Grande tem acertado na escolha de desenvolvimento que tem feito, sobretudo aquelas que fomentam a retomada do setor industrial, fator indispensáveis para o fortalecimento de uma economia.

 

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.