FATOS

agosto 9, 2017

Empresários paraibanos superam crise

No Brasil, falar em crise faz parte da pauta dos noticiários, infelizmente os
políticos de nosso país, não dão prioridade a programas de governo que
ofereçam estabilidade, credibilidade nem incentivo.

Aqui em nossa capital, João Pessoa, talvez pela oscilação das ações para com o turismo, os empresários aprenderam a driblar os problemas e passaram a usar a dinamogenia da criatividade, arregaçam as mangas e partem para os investimentos necessários da manutenção e desenvolvimento dos empreendimentos.
Devido esse dinamismo dos empresários, João Pessoa pode comemorar a vitória por manter a taxa de ocupação anual, uma das mais altas das capitais nordestinas, quiçá, nacional. Opções podiam ser criadas para melhorar mais ainda o índice ocupacional ou pelo menos, aproveitar os eventos já existentes e fazer divulgação como é o caso da barqueata no dia de São Pedro, onde os devotos seguem em procissão com o santo dos pescadores da Penha a Tambaú em suas embarcações ornamentadas, seguindo em fila indiana. Temos também o interessante acontecimento centenário, a procissão de Nossa Senhora da Penha, outro meritório evento religiosos, que acontece todos os anos e que não há um apoio, uma divulgação.
Mesmo com essa falta de apoio os empresários mantém o trabalho de Marketing.
João Pessoa é uma das cidades mais antigas do Brasil, mais tem hábitos joviais, os equipamentos turísticos são relativamente novos, modernos e com os serviços prestados por profissionais capacitados. É uma exigência indispensável dos empresários, contratar os atendentes e das demais área de serviço, pessoas com formatura ou que sejam preparados através de entidades credenciadas, como o SESC e o SENAC.
Os hotéis, além de atenderem com muito conforto nas acomodações, na sua maioria, tem serviço de restaurante, que além do hóspede, também atende ao público, e pelos comentários estão entre os melhores ambientes e os mais variados sabores da cidade. Podemos citar uns, iniciando com um dos mais antigos: O Restaurante Adega do Alfredo, no Hotel Royal, que por sinal, chegou primeiro que o hotel. Em seu cardápio, a culinária portuguesa predomina com o saboroso bacalhau, tão gostoso que motiva o pecado da gula, acompanha o menu uma rica carta de vinhos. O Restaurante Malagueta no hotel Litoral, na Av. Cabo Branco, com variados sabores em seu cardápio. No final da mesma avenida, tem o Roccia Restaurante, no charmoso Hotel Cabo Branco Atlântico e no cardápio, pratos contemporâneos, com sabores internacionais, além de vinhos e drinques, em ambiente moderno e refinado. Em Tambaú, na Av. Alm. Tamandaré, 740, o destaque é o Tamarindo, no Nord Luxxor Tambaú. O diferencial do Tamarindo é que a base dos pratos são com ingredientes regionais e o Chefe faz adaptações deixando o prato saborosíssimo. Tanto o Roccia, quanto o Malagueta e o Tamarindo, dão uma belíssima visão panorâmica para o mar. Destaque também para o Restaurante Mezzan, no Hotel Manaíra, com opões de carnes e crustáceos de dar água na boca. O Restaurante fica num espaço climatizado, amplo e elegante.
Tem um ditado popular que diz: faça sua parte que Deus ajuda, e é notório o retorno dos esforços feito pelos empresários durante o ano. Em João Pessoa, podemos dizer que não existe período sem turista e essa procura perene tem trazido para o nosso Castro Pinto, novos voos, o mais recente está vindo da Argentina, um voo internacional, com frequência semanal pela empresa Gol Linhas Aéreas, em aeronave com capacidade para 170 passageiros. Comenta-se que em dezembro, a Avianca também inicia operação em nosso solo. Os esforços estão compensando. Havendo procura, o voo chega.

 

Fernando Duarte

Jornalista – Membro do Conselho da Abrajet Nacional

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.