M O N T E V E R D E

julho 11, 2017

Para quem gosta de curtir um frio gostoso nessa época de inverno, o povoado

de Monte Verde, no sul de Minas Gerais é uma boa pedida,

pois é considerada a melhor opção naquele estado.

Localizado na Serra da Mantiqueira, a 1554 metros de altitude, ele oferece, além de seu frio intenso (chegando a níveis abaixo de zero grau), uma série de atrações para os turistas, e também um clima de tranquilidade para os que preferem se deliciar com a contemplação da natureza.
Fundado por imigrantes vindos da Letônia, no século passado, que trouxeram para Monte Verde os seus costumes, a sua cultura e os seus hábitos de origem, dentre os quais uma gastronomia típica e saborosa, um artesanato singular, entre outros. O povoado é um distrito do município de Camanducaia (MG) e tem vida própria, estando a 500 km de Belo Horizonte, a 167 km de São Paulo (capital), a 168 km de Itajubá e a 206 km de Campos do Jordão. Pela proximidade, o maior número de turistas que circulam por lá são paulistas.
Os hotéis e pousadas (mais de 150) são estilosos, grande parte possuindo chalés com hidromassagem, lareira e instalações confortáveis para que seus hóspedes possam usufruir de uma boa estadia. Neles se pode sentir em sua plenitude o meio-ambiente, em especial a fauna e a flora das montanhas.
As atrações oferecidas aos seus visitantes vão desde os restaurantes e bares típicos, passando pelo artesanato, onde se destaca o ATELIER do LELÉ, com peças de cerâmica; o UNGER’S POTTERY HOUSE, com totens formados por esferas e discos; a loja ALPINA, de souvenirs diversos; as GELÉIAS TIA NATA, que produz geleias de amora, framboesa e kiwi; a MONT’ART, com souvenirs, relógios-cuco e termômetros de diversos modelos, entre outras.
Os passeios oferecidos aos turistas são os mais variados, como os de Jipe, com city-tour pelos arredores de Monte Verde, incluindo o mirante do aeroporto, um trutário e a Cachoeira dos Pretos; de Quadriciclo, percorrendo 13 km de trilhas, terminando na Megatirolesa, e de Cavalo, também pelos arredores da vila.
O turismo de aventura também é uma boa, como trekkings na Serra da Mantiqueira com trilhas que levam aos mirantes mais expressivos como a Pedra do Chapéu do Bispo, a 2030 metros de altitude; à Pedra Redonda, a 1930 metros; à Pedra Partida, à 2050 metros e ao Pico do Selado, à 2083 metros. Tem o esporte da Bóia-cross, nas corredeiras do Rio Jaguari e o ESPAÇO ADÉLIA, cercado de araucárias e oferecendo arvorismo, paint-ball, tiro ao alvo e arco e flecha.
Em novembro próximo, estarei novamente por lá, para participar do lançamento de mais um livro do meu primo, Padre José Aparecido Cavalcanti de Albuquerque Franco, ex-assessor da Presidência da CNBB e que reside em Monte Verde há algum tempo. Dessa vez, será a biografia de seu avô, o Juiz Carlos Francisco Cavalcanti de Albuquerque, paraibano que se radicou em Minas Gerais no final do século XIX, constituindo família e deixando muitos descendentes. Carlos Francisco era meu tio-avô, pois era irmão do meu avô materno, o Dr. Francisco Carlos Cavalcanti de Albuquerque, que execeu o cargo de Secretário-Geral do Tribunal de Justiça da Paraíba nas primeiras três décadas do século XX.

 

Ivan Y Plá Trevas

Jornalista

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.