Relembrando os anos 1964 a 1985 – Período de Grande progresso

junho 10, 2017

O turista ao chegar, ficava encantado com tudo e percebia a segurança que reinava

Os brasileiros, nascidos após os anos de 1964 a 1985, só conhecem o período em que o Brasil foi governado por militares, de maneira meramente pejorativa, manipulação política com a intenção apenas de macular. Falam sobre crimes e eu confirmo: sim, durante os vinte anos morreu talvez 1% do que morre hoje por mês. Por isso, gostaria de esclarecer aos mais jovens, um rápido histórico daquele período de desenvolvimento, paz e tranquilidade,
Dou início a esta retrospectiva, enfatizando primeiro que na época, o Brasil começou a se preparar para o Turismo. O país também iniciou um trabalho pensando no brasileiro. Empregou 13 milhões de pessoas no comércio e na indústria, e nenhuma bolsa família. A Petrobras, que hoje é uma das sedes da corrupção, naquele período, os generais
trabalharam com objetivo de aumentar a produção. O resultado foi positivo, aumentando a produção que ao receber era de 75 mil barris/dia de petróleo, passando para nada menos de 750 mil barris diários. Destinaram ações para todos os lados: Criou a Eletrobrás, a Nuclebrás, a Embraer, a Telebrás, implantou o Programa Nuclear Embrapa.
Sempre visando o desenvolvimento da nação, construíram as Usinas Angra 1 e 2, a de Tucuruí, Ilha Solteira, Jupiá e Itaipú. Com o investimento nas usinas partiram para a construção das Hidroelétricas, iniciando com a de Boa Esperança, e em seguida, Rio Parnaíba, investimento pelo qual até hoje somos beneficiados mesmo sem ampliação. Veio então a implantação do Proálcool, para dinamizar o sistema energético, e com o incentivo os empresários aumentaram a exportação, passando de 1,5 bilhões para 37 bilhões de barris.
A construção de rodovias, investimento imprescindível, pois, o país só tinha 03 mil Km, foi ampliado para 45 mil Km. O transporte ferroviário foi outro investimento de grande dimensão na malha, que dos 03 mil passou para 11 mil KM. Outro setor que foi beneficiado os de trabalho rural que começaram a ter direito a aposentadoria e assistência médica.
É bom lembrar que foi nesses vinte anos que foram criados: o FGTS, o PIS, o Pasep e a regulamentação do 13º salário que quando aposentado teria sequência de benefício. Hoje a incompetência e a desonestidade das autoridades, querem reduzir o direito.
Em todo Brasil havia trabalho de melhoria, construíram e duplicaram várias estradas, a rodovia Rio a Juiz de Fora. A implantação dos Metrôs de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Recife.
Quatro Aeroportos, todos da mesma época do Período Militar, o do Galeão, de Brasília, Campinas, Salvador e Manaus. A criação do porto Itaqui e o terminal de Minério no Maranhão. Com o projeto para sanar a vida dos sem teto, instalou o BNH – Banco Nacional de Habitação. Para se ter uma ideia, no período militar foram construídas em João Pessoa, 10 vezes mais residências populares do que em todos os governos anteriores e posteriores.
Criou também o SFH Sistema Financeiro de Habitação. Em obras sociais, diga-se de passagem, que eram financiadas, podemos citar o Conjunto Castelo Branco, o João Agripino, o Ernesto Geisel, o José Américo, o Altiplano e para arrematar, o de Mangabeira, com 17.259 unidades residenciais.
Para educação, o ensino superior que em 1964 tinha apenas 100 mil estudantes, em 1981 chegou a 1.300 mil e mais de 10 milhões passaram a frequentar escolas (escolas mesmo, pois funcionavam muito bem). A ponte Rio Niterói, em 4 anos foi entregue aos brasileiros. E O BRASIL PASSOU DA 46ª PARA A POSIÇÃO DE 8ª NO IDH. Todo esse resultado sem superfaturamento e com o país sendo o mais respeitado.
Passei essa informação porque vivenciei aquele período. No início fui contra, mas, em pouco tempo observei que o meu país estava passando por processo de desintoxicação moral e ética (tipo as necessidades de hoje), e não vejo boas perspectivas para o futuro por atualmente o lixo político estar bem mais incrustado. Hoje, a falta de respeito é descarada, e as falcatruas estão às vistas, e nas forças armadas não existe mais um Castelo Branco, um Garrastazu Médici, nem um Figueiredo. Em algumas mensagens que circulam nas redes sociais, observa-se uma certa submissão dos atuais Generais em defesa da pátria que está sendo sugada pelos poderes degenerados. Estão chamando hoje o período de 1964 a 1985 de “Período do Éden”.
Comparado aos governos atuais, hoje são mais de 13 milhões de desempregados. Nós brasileiros não somos contra o Bolsa Família, somos contra Bolsas Eleitoreiras.
Pelo fato de não ter dado continuidade, a malha rodoviária passa por sérios problemas e o ferroviário praticamente inexiste.
Hoje, o Governo quer tirar bilhões do trabalhador por conta das Prefeituras, Bancos Oficiais e particulares e de grandes empresas sempre ligadas a políticos, INADIPLENTES
Os nossos aeroportos têm sido ampliados, mas o grande registro mesmo é das décadas de 64 a 85.
Tristeza mesmo é a atual colocação do Brasil IDH: dos 188, o nosso país fica na 79ª colocação, quando os civis receberam o Brasil dos militares na 8ª posição do IDH.

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.