VIVA A POLÍTICA DE CÉUS ABERTOS

maio 9, 2017

As liberdades da cidadania andam em baixa no Brasil. Na política, diante da corrupção generalizada qual um quadro em que o câncer vai destruindo todo seus tecidos, alguns inventaram de uns tempos para cá de defender a volta dos militares ao poder. Ao invés de usarmos nossa liberdade, como se fez recentemente com a volta do povo às ruas para pedir mudanças na ética governamental, estamos reivindicando a volta dos militares, ou seja de um regime que vem sendo gradativamente banido no mundo, a ditadura.
Os dois motes das revoluções que o País sofreu no século XX, a de 1930 e a de 1964, tinham o mesmo princípio: contra a corrupção e o comunismo . Do primeiro, temos a expansão da corrupção em larga escala, resultado do fruto do centralismo. Do segundo, a própria liberdade encarregou-se de circunscreve-lo ao seu verdadeiro tamanho sem ferir a liberdade de escolha política. O centralismo foi transmitido ao regime novo regime democrático após sua volta. Passamos assim a ter medo da felicidade e em vez de lutar para aprimorar a democracia, chamam o papai fardado para trazer a ética de volta. Os militares são preparados para funções específicas da defesa. As missões políticas cabem aos políticos.
Temos um exemplo diante da decisão das empresas aéreas de cobrarem pelo transporte de malas. A ANAC não pode estabelecer regras como essa da cobrança pelo transporte de malas. Mas o fez, e de forma atabalhoada, provocando a judicialização das relações que cabem apenas ao mercado resolver. Isso pode ser assunto a ser resolvido entre empresas aéreas e uma associação de usuários. E, se no final, prevalecer a cobrança, que se pague. Afinal, uma empresa aérea tem por finalidade buscar o lucro. E não cabe ao governo estabelecer o tamanho desse lucro. Que tal uma política de céus abertos ? . Tabelamentos de preços e intervenções governamentais acabam servindo a fins não buscados. É hora do fim do velho e surrado cartório. Viva a liberdade, com todos os seus defeitos.

 

Hélcio Estrella

Jornalista de economia e turismo, ex-Presidente Nacional e atual membro do Conselho Nacional  da ABRAJET

 

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.