Chile, exemplo de dignidade

novembro 2, 2016

Cerro Santa Lucía-003Precisamos mostrar ao povo brasileiro o exemplo que o Chile está dando ao mundo. “Respeito e dignidade é o lema”. Diferente de nosso Brasil, há segurança, o serviço público funciona e a educação é prioridade. As leis são respeitadas: se um político ou funcionário público cometem atos de corrupção são condenados e presos, além de devolverem o que foi surrupiado. Aqui no Brasil é diferente: o corporativismo no legislativo leva deputados e senadores a criar leis absurdas com todo aparato de blindagem a seu favor em um verdadeiro cartel comandado pelas presidências das casas legislativas, com apoio do judiciário que fica de prontidão no caso de descobertas das falcatruas. O próprio Presidente anda às voltas com denúncias e continua no comando, intocável. Prefeitos e Governadores com investigações em marcha conseguem safar-se através das brechas das leis por eles fabricadas, disputam legenda no maior cinismo, ignoram a Ficha Limpa. Em nem um lugar do mundo civilizado um candidato comparece algemado para votar.
Em Santiago no Chile, existe um roteiro, onde o turista vai a pé visitar os Museus Chileno de Arte Pré-colombiana, Palácio de La Moneda e Cerro Santa Lúcia. Os mais distantes como Cajón del Maipo, o Valle Nevado e outros, têm como opções de transporte as vans das agências e os taxis. Cuidados especiais com a carteira, bolsas e sacolas em locais de grande movimento. Apesar da rigidez com o delinquente chileno, lá eles não são beneficiados com o pro labore e quando comete crime é preso e paga pena. O cidadão tem direito a Porte de Arma para se defender.
Avaliando a atual conjuntura de países da América do Sul, vê-se que no Brasil a decorrência vem do brasileiro não fazer uma pesquisa antes de votar. Temos Deputados, Senadores e Vereadores, com mais de 08 mandatos e nossas leis continuam as mesmas, sem a atualização e os poderes cada vez mais abonados e povo à deriva…

 

Guet Coelho

Jornalista Profissional

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.