A INFLEXÃO DO TURISMO

outubro 13, 2016

Os negócios do turismo estão sempre entre os primeiros a darem os sinais de crise no horizonte. Assim tem sido historicamente, tanto que para combate-la existe uma frase lapidar do ex-Presidente da ABAV-Associação Brasileira de Agentes de Viagem, Antonio Azevedo : quando o horizonte não coloca oportunidades à sua vista, V. as cria. Mas, também estão entre os primeiros a vislumbrarem as oportunidades que surgem quando o horizonte começa a se desanuviar. É o que está acontecendo agora, quando alguns dos maiores obstáculos políticos ao deslanche da economia foram removidos, o impeachment da Presidente da Republica e a cassação do Presidente da Câmara dos Deputados.
Os primeiros balanços do andamento da economia mostram que há uma nítida recuperação nos níveis dos negócios, como as taxas de crescimento industrial, a melhoria no consumo e outros itens importantes como a retomada das exportações/importações de que o Brasil precisa para manter uma economia saudavel. Embora pequena, a tendência é de que estamos novamente no caminho da normalização da vida nacional, e de que teremos no ano que vem um período mais favorável para todos. Não uma rápida recuperação como todos desejam, mas uma recuperação tão ansiosamente esperada, que vá deixando para trás os fantasmas do desemprego e da inflação que voltava a ser galopante.
77_gramado-2013As últimas estimativas para os negócios do turismo apontam nesse sentido, de que são vivas testemunhas os próximos salões de negócios do turismo nacional e internacional, como a Feira da ABAV, em setembro, em São Paulo e o FESTURIS, o consagrado salão de turismo de Gramado, no Rio Grande do Sul, hoje entre os maiores e mais confiáveis termômetros não apenas da economia turística, mas das próprias tendências do crescimento brasileiro. Asvendas de espaço naqueles eventos mostram claramente que as expectativas estão em um patamar que não se vislumbrava desde 2013, nas quais o turismo volta a despontar como um dos eixos indutores da expansão econômica nacional.
O turismo reinventou-se nos últimos três anos, sofreu como toda atividade que depende de inciativas, mas contornou obstáculos que pareciam insuperáveis e mante-se entre os segmentos que eliminou o menor número de postos de trabalho, contribuindo com uma das menores taxas para as vergonhosas estatísticas que deixou sem trabalho formal quase 12 milhões de brasileiros. E agora vem à frente daqueles que exibem mais rapidez na volta à normalidade.
Chegamos – ufa ! – ao ponto de inflexão de que tanto estávamos precisando.
O turismo mostra importância de seu papel na vida brasileira.

Destaque: O jornalista Helcio Estrella foi Presidente Nacional da ABRAJET e é membro permanente de seu Conselho Nacional. Endereço : doublehelcio@gmail.com

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.