Nosso Ponto Extremo Oriental

Março 13, 2016

Desde que me entendo de gente, ainda estudante do ensino

primário, nas aulas de geografi a já se falava com orgulho

que na Paraíba estava localizado o PONTO EXTREMO

ORIENTAL DAS AMÉRICAS.

Naquela época, nos anos 50 do século passado, o nosso Ponto Extremo Oriental era o Cabo Branco. De lá para cá, passados vários anos, a força do poderoso Atlântico Sul foi derrubando paulatinamente suas barreiras arenosas, hoje cambaleantes, o que fez com que continuássemos a ter ainda o Ponto Extremo Oriental das Américas, mas agora com a Ponta do Seixas, na praia do mesmo nome. Isso é um fato importante pois continuamos a ter ainda um ponto geográfi co de relevância para nós e para aqueles que nos visitam, em especial os turistas, pois a mídia se aproveita dessa dádiva da natureza para divulgar que aqui na nossa Paraíba, mais precisamente em João Pessoa, existe um lugar especial, ONDE O SOL NASCE PRIMEIRO. Todavia, por mais que se tenha tentado junto aos poderes públicos, em especial o municipal, para que se faça jus a esse título, até hoje não se construiu uma obra permanente e vistosa, que se apresente aos turistas – com pompa e circunstancia – para assinalar esse lugar que é atrativo turístico e geográfi co de importância. Na verdade, há um descaso do poder público para ressaltar esse
importante ponto geográfi co, para nós e para o mundo. Pois, com tanto dinheiro que ele joga fora por aí – pelo ralo e por outros caminhos menos recomendados – a construção de um Centro Turístico naquela área, na Praça do Sol Nascente (por exemplo), a fi m de recepcionar os visitantes e turistas com dignidade e cortesia, é de suma importância. Os nossos “patrícios” portugueses, há décadas, nos dão uma lição sobre isso: lá em Portugal está o Ponto Extremo Ocidental do Continente Europeu, o Cabo da Roca, na província de Sintra, cidade histórica que tanto fascinou e inspirou o famoso escritor inglês Lorde Byron. Já tive a oportunidade de ter ido ao Cabo da Roca. Lá, além da bela visão que dele se deslumbra do Atlântico Norte, o turista encontra um apoio digno e exemplar, sendo recebido com alegria e fi dalguia no Centro Turístico Ofi cial de Portugal lá existente; e, querendo, pode até trazer um Certifi cado Ofi cial de que lá esteve, assinado pelo Presidente da Câmara Municipal de Sintra. Eu já tenho o meu de lá. Falta o daqui, o da Ponta do Seixas, para me assegurar que aqui na Paraíba o sol nasce primeiro em todas as Américas.

 

*Ivan Y Plá Trevas, especial para o Caderno de Turismo.

 

 

Nenhum Comentário

Os comentários estão fechados.